Tempo de leitura: 3 minutos

Ideb 2019: Desigualdade entre escolas nas redes municipais de ensino

|

Dada a crise causada pela Covid-19, a Educação Básica do País passa por um dos momentos mais desafiadores de sua história, em que as desigualdades entre escolas que já eram grandes estão sendo ampliadas, desafio urgente a ser enfrentado pelos próximos prefeitos e prefeitas eleitos. Entre 2015 e 2019, a maioria dos municípios (57,5%) apresentou um aumento na desigualdade entre escolas dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, calculada a partir da diferença entre as médias de Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) dos grupos de escolas de maior e de menor indicador. Os dados são do estudo “Desigualdade entre Escolas nas Redes Municipais de Ensino” (acesse os dados completos no final do texto), do Todos Pela Educação, que traz informações consolidadas dos municípios de cada estado brasileiro, das capitais e uma tabela com dados (acesse ao final do texto) de todas as redes municipais do País.

O fosso de oportunidades entre escolas de uma mesma rede de ensino foi ampliado mesmo nos municípios que avançaram no Ideb no período analisado: mais da metade (58%) deles, o fizeram ampliando a desigualdade entre os grupos de escolas com maiores e menores resultados. Nas capitais: 8 tiveram aumento na desigualdade entre as escolas entre 2015 e 2019; 3 permaneceram estáveis e 15 tiveram redução da desigualdade entre os grupos das escolas com menores e maiores resultados.

“Liderar políticas para impulsionar a melhoria da aprendizagem e do fluxo escolar nas escolas com os maiores desafios educacionais já era uma necessidade pré-pandemia e deverá ser ainda mais urgente em 2021, frente ao aprofundamento das desigualdades. Será fundamental que os futuros gestores municipais proponham soluções que dialoguem com esse desafio, olhando para absolutamente todas as escolas e alunos da rede de ensino. A redução das desigualdades precisa ser um grande objetivo da gestão pública, com a adoção de medidas específicas para isso. Só assim será possível diminuirmos a disparidade entre escolas e reafirmarmos o direito à Educação com equidade para nossas crianças e jovens”, afirma Gabriel Corrêa, líder de políticas educacionais, do Todos.

 

Loading...

Loading…

É POSSÍVEL MUDAR ESSE QUADRO DE DESIGUALDADES JÁ A PARTIR DAS PRÓXIMAS GESTÕES MUNICIPAIS. SAIBA COMO

Desigualdade prevista e observada

Ao comparar a diferença entre a escola de maior e a de menor meta de cada localidade (o que demonstra a diferença esperada de Ideb para o município) e a diferença observada nos resultados, é possível compreender se os municípios brasileiros estão ampliando a desigualdade além da prevista e quais as razões para tal. Nessa perspectiva, 56% das redes municipais tiveram uma diferença maior que a prevista entre a escola de maior e a de menor resultado no Ideb 2019 nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental. 

Analisando as razões que originaram essa disparidade entre o esperado e o observado, há três cenários: (1) em 39,9% dos municípios, a escola de menor Ideb não atingiu a meta daquele ano, enquanto a escola com o maior índice atingiu ou superou a meta; (2) em 35,7%, a escola com o menor e a com o maior Ideb atingiram suas metas, mas, a de maior Ideb avançou mais se comparado à escola de menor indicador; e por fim, (3) em 24,4% das localidades, nenhuma das escolas atingiu suas metas, porém a de maior Ideb ficou mais perto de cumprir do que a de menor Ideb. Isto é, em todos os casos, as escolas com os maiores desafios educacionais são as que mostraram mais dificuldade para avançar no índice.

 

VEJA O LEVANTAMENTO COMPLETO

Ideb2019_Desigualdade entre as escolas_TodosPelaEducacao_final

Ou baixe para ler depois

 

ACESSE AQUI A TABELA COM DADOS DE DESIGUALDADE PARA TODOS OS MUNICÍPIOS BRASILEIROS

 

Na imprensa

Esse estudo saiu com destaque no jornal Folha de S.Paulo (SP) dia 09 de novembro. Clique aqui para acessar a matéria.

Sobre o Todos Pela Educação

O Todos Pela Educação é uma organização não governamental, sem ligação com partidos políticos, mas que dialoga com todos, e que não recebe recursos do governo. Produz estudos e promove a mobilização da sociedade e do poder público pela melhoria da Educação Básica. Em meio à pandemia do novo coronavírus no Brasil, redirecionou esforços para apoiar o País no enfrentamento da crise e de seus efeitos negativos na vida escolar e na aprendizagem das crianças e dos jovens. Saiba mais aqui.


1 Comentário para “ Ideb 2019: Desigualdade entre escolas nas redes municipais de ensino”

  1. Herculano Simões Jr diz:

    As diferenças de escolas refletem a s diferenças de nivel socio economico dos alunos. A Fsp foi mais clara e mostrou q escolas em bairros da periferia tem desempenho pior q as centrais. E se sabe q comparadas as escolas particulares a diferença reaparece a favor das particulares se reproduz O Fundamental de 1 a 4a serie e o única q o estado pode meter o bedelho. Mas, investimentos feitos tem resultados pífios. O relatório Colemam ja tinha afirmado. O Ideb ñ mede escola a escola pra medir o país.