Tempo de leitura: 2 minutos

Priscila Cruz participa do Summit Educação Brasil 2021

|

Priscila Cruz, presidente-executiva do Todos, participou do Summit Educação Brasil 2021, no painel “O impacto do tempo perdido”, ao lado de Vitor de Angelo, Secretário de Estado da Educação do Espírito Santo e Presidente do Consed, e de Kátia Schweichkardt, Professora na Universidade Federal do Amazonas e ex-secretária de Educação de Manaus.

Neste debate promovido pelo jornal O Estado de S. Paulo, eles discutiram sobre como recuperar a aprendizagem perdida ao longo do período de escolas fechadas e ensino remoto insuficiente e quais as consequências deste cenário. 

Priscila afirmou que o Brasil demorou a reagir: “O custo político de quem estava tentando priorizar a Educação foi alto. A discussão ficou em ‘abre não abre’, quando, na verdade, o debate deveria ter sido sobre ‘o que fazer para abrir de forma segura, gradual e efetiva'”.

O grupo também refletiu sobre os desafios enfrentados por Estados e Municípios ao longo deste período, a falta de orientação e suporte do Governo Federal para os entes e o que é preciso fazer daqui em diante, agora que a maioria dos Estados retomou as aulas presenciais. “Precisaremos dobrar, triplicar os esforços para recuperar o tempo em que as escolas ficaram fechadas”, relembrou Priscila Cruz.

A ampliação da jornada escolar dos alunos na escola, reforço para recuperação da aprendizagem, valorização e formação de professores, pressão da sociedade e visibilidade a modelos de sucesso que são escaláveis e que já existem em nosso País foram caminhos apontados para a Educação no pós-pandemia. 

Priscila também relembrou a necessidade de se investir mais em alunos de baixa renda para construir uma geração com menos desigualdades: “Essa é a lógica: sempre investir mais, sempre dar mais atenção para aqueles que mais precisam. Esse é um caminho para que a gente saia desta situação vexatória de desigualdade educacional, que depois se reflete na desigualdade socioeconômica”. 

Assista: