Tempo de leitura: < 1 minuto

Priscila Cruz defende as escolas e professores no evento Mulheres Pós 2020

|

Priscila Cruz, do Todos Pela Educação, participou do evento Mulheres Pós 2020, criado e apresentado pela jornalista Ana Paula Padrão. Ela integrou o painel “Pandemia, um colapso na educação e por que as principais vítimas são as mulheres”, com Luanda Moraes (reitora da UEZO – Universidade Estadual da Zona Oeste do RJ), Lourdes Atié (socióloga) e mediação de Deh Bastos (comunicadora). 

Nesse debate realizado no Dia da Educação, 28 de abril, Priscila lembrou que há avanços a celebrar na Educação Pública, apesar dos desafios ainda a superar. Além disso, reforçou que a desigualdade gigantesca que já tínhamos no País se agravou brutalmente com a pandemia; citou estudos que já mostram retrocessos – como o recém-divulgado no estado de São Paulo e o da Fundação Getúlio Vargas; e comentou as sinalizações já feitas pelo UNICEF sobre evasão escolar. “Esses são alguns dos indicadores, mas há outros que nos preocupam muito, que apontam o abuso sexual de crianças, o impacto no desenvolvimento cognitivo, físico e emocional nos alunos”, completou, salientando a importância de não politizar sobre a abertura de escolas. 

A presidente-executiva do Todos Pela Educação também falou sobre a importância da valorização da escola e dos professores: “no Brasil, escola é um caso de sucesso, a escola pública resiste e vem sendo um esteio importantíssimo de várias políticas públicas, precisa ser valorizada como espaço de luz, espaço privilegiado onde a cidadania acontece, onde o direito à Educação acontece, onde o direito ao desenvolvimento cognitivo, social, físico e emocional das crianças acontece. E valorizar os professores – os principais profissionais desse País”. 

O painel completo está disponível no portal Universa UOL, assista: