O que é?

Entenda a prioridade

“Primeira infância: uma agenda intersetorial” é uma das 7 prioridades contidas no documento “Educação Já!: medidas urgentes para o(a) futuro(a) presidente lançar mão já nos seus 100 primeiros dias de governo para começar o salto de qualidade que nossa Educação tanto precisa".

Nos primeiros 100 dias, propomos para o próximo governo:

Instituir política nacional intersetorial para a primeira infância. Essa nova política deve articular ações para educação, saúde e assistência social, entre outras áreas.

Por que a primeira infância é prioridade?

Uma infância bem cuidada pode ser a chave para o bom aprendizado durante a vida toda. Afinal, é entre os 0 e 6 anos que desenvolvemos habilidades como a capacidade de adquirir conhecimento (cognição), que vamos usar para sempre. Isso sem falar em outros efeitos de longo prazo nas habilidades socioemocionais, na saúde, na criminalidade e também nas desigualdades entre crianças de condições socioeconômicas diferentes.

 

ENTENDA O PORQUÊ QUE INVESTIR NA PRIMEIRA INFÂNCIA NÃO É SÓ EXTREMAMENTE EFICAZ, COMO É URGENTE EM NOSSO PAÍS:

Não estamos atendendo quem mais precisa!

Apenas 30% das crianças de até 3 anos estão em creches.

Entre as famílias mais pobres essa taxa é de 26%, enquanto nos domicílios mais ricos esse percentual chega a 55%.

O que tem que mudar?

Fatores que influenciam a Educação na infância

Além de ter uma legislação avançada para a primeira infância, como é o caso do Brasil, precisamos de programas que entendam e melhorem as diversas dimensões que, juntas, influenciam o desenvolvimento das crianças. Por exemplo:

Origem
familiar

Desde a escolaridade dos adultos até o clima afetivo, uso da linguagem e expectativas sobre o futuro da criança.

Educação parental

Informar os pais sobre as etapas do desenvolvimento infantil desde o pré-natal faz a diferença.

Aproximação
da escola

Colocar a escola em contato com os pais ou responsáveis pode trazer facilitar o ensino das crianças.

Contexto socioeconômico

Problemas sociais e situações estressantes (como violência, por exemplo) podem afastar as crianças da escola ou prejudicar a aprendizagem.

Saúde e
nutrição

A maneira como a criança é alimentada e cuidada pode afetar seu desenvolvimento e, por isso mesmo, sua capacidade de aprender.

Entre outros fatores!

A lista não termina aqui, mas o recado é claro: para melhorar os resultados escolares, políticas sociais e educacionais precisam andar juntas.

Quanto antes, melhor!








Investir na primeira infância é muito melhor do que reverter ou minimizar os problemas que a falta desse investimento podem causar. E quem diz isso é James Heckman, prêmio Nobel de economia. Além disso, sem cuidar bem da infância, não há condição para aprender fácil e crescer forte, saudável e feliz. Isso é óbvio para nós, e queremos que seja também para o próximo governo federal.